A Morte do Pintainho, Poema de Vinícius de Morais

0Shares

A Morte do Pintainho

Quem matou o pintainho?
Eu, disse o pato
Com meu pé chato
Eu matei o pintainho.
Quem viu ele morto?
Eu, disse o mocho
Com meu olho torto
Eu vi ele morto.
Quem chupou seu sangue?
Eu, disse o morcego
Que não sou cego
Eu chupei seu sangue.
Quem lhe deu mortalha?
Eu, disse a aranha
Com teia e artimanha
Eu lhe dei mortalha
Quem vai ser o padre?
Eu, o louva-a-deus
Em nome de Deus
Eu serei o padre.
Quem será o sacrista?
Eu, disse o frango
Com a minha crista
Eu serei o sacrista.
Que leva o caixão?
Eu, disse o gavião
Sei bem porque não
Eu levo o caixão
Quem será o coveiro?
Eu, a toupeira
Eu que sou coveira
Eu serei o coveiro.
Quem fará o túmulo?
Eu, disse o joão-de-barro
Pois que tenho barro
Eu farei o túmulo.
Quem leva a vela?
Eu, o vaga-lume
Eu acendo o lume
E eu levo a vela.
Quem vai cantar?
Eu, o pardal
La-la-ri-la-ra
Eu sei cantar.
Quem leva as coroas?
Eu, disse o cisne
Já que não dou rima
Eu levo as coroas.
Quem toca o sino?
Disse o suíno:
Eu mais o boi
Nós tocamos o sino.
Quem vai na frente?
Eu, o periquito
Porque sou bonito
Eu vou na frente.
Todo o pássaro do ar
Foi chorar lá no seu ninho
Ao ouvir tocar o sino
Pelo pobre pintainho.
compre-amazon

   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.