D. Sebastião, Rei de Portugal, Poema de Fernando Pessoa

0Shares

D. Sebastião, Rei de Portugal

Louco, sim, louco, porque quiz grandeza
Qual a Sorte a não dá.
Não coube em mim minha certeza;:
Porisso onde o areal está
Ficou meu ser que houve, não o que ha.
Minha loucura, outros que me a tomem
Com o que nella ia.
Sem a loucura o que é o homem
Mais que a besta sadia,
Cadaver addiado que procria?

Poema publicado no livro Mensagem composto por 44 poemas, dividido em três partes e publicado em 1934. Foi o único que Fernando Pessoa publicou em vida, se descontarmos os livros de poemas em inglês.

   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.