D. João o Segundo, Poema de Fernando Pessoa

0Shares

D. João o Segundo

Braços cruzados, fita além do mar.
Parece em promontorio uma alta serra —
O limite da terra a dominar
O mar que possa haver além da terra.
Seu formidavel vulto solitario
Enche de estar presente o mar e o céu,
E parece temer o mundo vario
Que elle abra os braços e lhe rasgue o véu.

Poema publicado no livro Mensagem composto por 44 poemas, dividido em três partes e publicado em 1934. Foi o único que Fernando Pessoa publicou em vida, se descontarmos os livros de poemas em inglês.

   

Intitula Cursos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.