Plataforma Disponibiliza Textos de Importantes Pensadores Africanos

4Shares

Por Erick Silva, jornalista

 

Algumas áreas de estudos no Brasil ainda são nebulosas em termos de conteúdos disponíveis na web. Um deles é, sem dúvida, o acesso escasso que temos aos pensadores africanos, de diferentes vertentes. O que é incompreensível, pois, a filosofia oriunda do continente africano é mais rica do que maioria possa imaginar, e merecia ser mais divulgada, com certeza.

     

Só que, para cobrir um pouco essa imensa lacuna, desde 2015 está no ar o site Filosofia Africana, uma biblioteca online com textos de autores africanos e da diáspora. Importe: todos traduzidos para o português, o que garante a possibilidade de pesquisarmos uma área que, geralmente, não é muito explorada no ensino em todos os seus níveis.

O site é dividido entre textos africanos, textos diaspóricos, outras ligações (indicações de outras plataformas – não necessariamente em português – sobre esses mesmos temas), outros recursos (espaço destinado a outras formas de passar o conteúdo que não sejam o textual, como vídeos, por exemplo), e partilhando olhares (destinado aos comentários).

Para se ter uma ideia da importância desse conteúdo, principalmente para quem já é dedicado a esse tipo de estudo, há texto de pensadores do cacife do camaronês Achille Mbembe, do senegalês Cheikh Anta Diop, da nigeriana Oyèrónké Oyěwùmí, entre tantos outros que, com certeza, são um fonte de informação muito útil para todos.

Uma das coisas mais importantes nessa história é que esse inovador projeto tem como mentor Wanderson Flor, professor do Departamento de Filosofia da Universidade de Brasília, um dos principais estudiosos na área no Brasil. Só ressaltando que ele não está sozinho nessa empreitada: Wanderson recebe constantemente a contribuição de estudantes de graduação e pós-graduação, que também alimentam o conteúdo do site.

“A presença da filosofia africana em nossos estudos amplia os olhares, consolidando a diversidade de perspectivas em torno das quais a filosofia é produzida, inclusive em função das experiências africanas, que são diversas das ocidentais”, disse Wanderson em entrevista recente para o site Nexo Jornal.

Boa parte do acervo do site Filosofia Africana é oriunda da pesquisa “Colaborações entre os estudos das africanidades e o ensino de filosofia”, e que foi feito em parceria com o Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação, Raça, Gênero e Sexualidades Audre Lorde. De início, a intenção principal foi de levar esse tipo de material (até então, muito raro) para professores da rede pública do Distrito Federal. Obviamente, a plataforma se ampliou, tento, hoje, um belo acervo a ser consultado.

“Toda discussão da formação filosófica precisa de uma base sólida da história da filosofia, e isso não é possível quando se arranca um continente inteiro desse pensamento”, disse ainda Wanderson em uma entrevista para o portal da UnB. E, essa preocupação não é infundada, visto que a difusão desses autores ainda é muito escassa por aqui, principalmente, traduzidos para a nossa língua.

Muito importante lembrar ainda que o ensino estudo da história e cultura africana e afro-brasileira se tornou obrigatório a partir de 2003, por determinação de um artigo da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Só que, mesmo com essa obrigatoriedade, os estudos nas principais instituições de ensino do país ainda são predominantemente europeus.

Porém, com mais esta plataforma de ensino, cada vez com mais conteúdo disponível, e com outras surgindo por aí, é provável que, daqui a algum tempo, essa realidade mude, e os pensadores africanos possam ser tão conhecidos quanto os de outras partes do mundo. O próprio Wanderson afirma sua intenção de ampliar o público do site na entrevista concedida ao Nexo Jornal:

“Há ainda, infelizmente, uma predominância de pesquisadoras e pesquisadores universitários (docentes ou discentes), mas vou apostando que, aos poucos, esse material possa compor também os recursos cotidianos de docentes do ensino médio”.

 

Endereço do site: https://filosofia-africana.weebly.com/
Contato com o professor Wanderson Flor: [email protected]

 

4Shares
   

Deixe um comentário